domingo, 5 de julho de 2009

Há 50 anos (2)



Quando comparo as diferenças entre estas duas fotografias, pergunto-me se não serão mais que justas as crescentes críticas que alguns, de forma pertinente, vêm fazendo ao património que é sonegado, consciente ou inconscientemente (irrelevante para o caso), ao comum dos cidadãos.
Porque se nos anos 50, o transeunte tinha oportunidade de apreciar a beleza destas arcadas do Teatro Nacional D.Maria II e do passeio público, hoje em dia esbarra com um estupidificante mono envidraçado, que a direcção daquela Casa resolveu construir, tapando definitivamente o aprazível local.

Inadmissível.
Mas verdadeiro.


(Fotografia a preto e branco do "Arquivo Fotográfico Municipal" da Câmara de Lisboa)

7 comentários:

Duende disse...

uma pena infelizmente

José Luís Espada Feio disse...

modernices provincianas!

Maria João disse...

Outra espécie de alienação, desta vez pela modernidade...
e é tanta a riqueza que se perde!

Inadmissível, como dizes.

Um abraço

Ana Cristina Casqueiro Haderer disse...

Belo exemplo de como se estraga o património. Incrível!

Luciana disse...

O mais grave é que milhares de pessoas – ditas lisboetas – passam e nem se apercebem de 99% das barbaridades que se fazem por aí!... :-(

Abraço
Luciana

Susete Evaristo disse...

E considero um crime a destruição da calçada à portuguesa.

Pe. Nelson Ricardo disse...

um crime o que fizeram com o piso!!!!!!