segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Rua das Gaivotas


Na rua delas, não avistei gaivota nenhuma.
Deduzi que não haveria tempestade no mar.
Varandas rendilhadas, janelas abertas, roupa a secar, flores.
Cheirava bem. A Lisboa.

3 comentários:

teresa maremar disse...

Há vida. Nas janelas abertas, por onde os interiores respiram. Porventura, uma telefonia tocando. Uma panela ao lume. Uma renda entre mãos. Uma canção trauteada. Uns passos nas escadas. Um pregão numa esquina. Uma sirene chorando saudade no rio.

Integração Histórica disse...

Bela Lisboa , que Deus abençoe essa linda cidade !!!!
Rio de janeiro tem uma grande influência de lisboa .
Tenha uma semana maravilhosa . Abraços !

Anónimo disse...

Agora que vivo a 40km de Lisboa, e estou reformado - sinto uma nostalgia da minha querida Cidade, só eu, é que sei