sábado, 5 de janeiro de 2008

Alameda Afonso Henriques



A água que corre não consegue esconder a sujidade das estátuas.
E como muitas vezes a água não corre, seria conveniente aproveitar uma dessas ocasiões para as limpar.

Com ou sem ela, a beleza impera, numa Alameda Afonso Henriques muito frenética em obras no lado oposto.

Lisboa monumental.

2 comentários:

Rui Luís Lima disse...

olá josé quintela soares!
muitas vezes saímos do nosso país para admirar outros monumentos, esquecendo os que proliferam por este jardim à beira mar plantado.
Lisboa e os seus monumentos merecem ser visitados por quem aqui vive.
um abraço cinéfilo
paula e rui lima

Anónimo disse...

Oxala' acabem depressa as obras do Metro do outro lado da Alameda, e que de la' tirem o carros "estacionados" a sombra das arvores!