segunda-feira, 20 de agosto de 2007

Pedras


Construído por cima da espectacular fonte de Alfama, é necessário quase olhar para o céu para se poder admirar esta obra-prima.

Lisboa tem destes tesouros, que mereceriam outro cuidado de conservação.
Os turistas param. Fotografam. Guardam para si.
Os “alfacinhas” nem dão pela sua existência.

A fonte está “seca”, há muito que não deita água.
O edifício resiste à erosão, ou não fosse ele de pedra.
Pedras, azulejos, ferros, vidros.
Mistura de materiais. De estilos.

A Lisboa de outrora.
De sempre!

3 comentários:

teresamaremar disse...

Al-Alhaman = a fonte, era assim que os árabes, no séc. VIII, chamavam a Alfama devido aos seus chafarizes.

Em

http://foziberrealagua.no.sapo.pt/

consta um texto conciso e muito informativo sobre fontes, chafarizes, aqueduto e aguadeiros de Lisboa.

suigeneris disse...

Muito formoso. Os aldeões nunca olham sua cidade como olham outra distante. A mim me ocorre o mesmo em Madrid, muitas vezes.

Como disse Pessoa, sempre queremos ser outro e estar em outro lugar.

geocrusoe disse...

Em dezembro passado vindo de Viena e ainda atordoado pela magnificência daquela capital, parei em Lisboa e num passeio a pé desde a baixa até à igreja de São Vicente deparei-me com este edifício e muito mais, senti então que Lisboa continuava a ser uma das mais belas cidades que conheço.